segunda-feira, 15 de junho de 2009

DIVÓRCIO:BENÇAO OU MALDIÇAO?


O que a Bíblia nos ensina sobre o divórcio?



Não é muito difícil encontrarmos cristãos que estão com sérios problemas no lar. Com freqüência pessoas nos perguntam acerca do que Deus diz a respeito do divórcio. Queremos desde já deixar claro que, quando um cristão opta pelo divórcio, quando o outro cônjuge também é crente, certamente ambos foram derrotados pelo diabo. Uma das coisas claras nas Escrituras é que Deus abomina o divórcio. Malaquias 2.16 diz: "Pois eu detesto o divórcio, diz o Senhor Deus de Israel, e aquele que cobre de violência o seu vestido; portanto cuidai de vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e não sejais infiéis." Tal coisa não teve princípio no puro coração de Deus, mas na mente suja do diabo. Por outro lado, de forma alguma Deus exigiria de nós algo que não poderíamos dar contas. É certo que se Ele não suporta o divórcio, também juntamente providenciaria uma forma para que isso não ocorresse.

Há casos em que parece impossível de continuar junto do cônjuge. No entanto, antes de se tomar qualquer atitude devemos lembrar que Deus é o Deus dos impossíveis. Se sabemos não ser vontade de Deus o divórcio podemos nos achegar confiantemente diante dEle assim reclamando socorro.

Muitas outras coisas devem ser levadas em consideração, tais quais os motivos que levaram a pensarmos desta forma. Não poucas vezes achamos que é o nosso cônjuge que tem de mudar e não nós mesmos. Isso certamente é um grande motivo para desestimular o outro a começar uma mudança de comportamento, pois, se eu que exijo não mudo como poderei exigir do outro a mudança?

Sabemos que a família possui um grande adversário e ele não dormita. Ele é tão paciente que vem semeando a longo prazo coisas que farão com que o casal no futuro venha ficar desestimulado a viverem juntos. Se é assim, temos a certeza que se cedermos estaremos entregando de bandeja aquilo que nosso adversário vêm desejando desde o princípio. Fica claro que esse não é nosso desejo, mas, como as coisas vão ficando difíceis surge essa idéia prometendo o alívio. Saiba, entretanto, que isso só prolongará e criará uma nova situação com a qual o casal terá de se preocupar ainda mais, principalmente se os mesmos tiverem filhos. Isso certamente trará um desequilíbrio de tamanho incalculável no crescimento dos filhos, pois essa atitude envolve toda a vida da criança. Realmente essa não é a melhor opção.



Já existem casos em que o divórcio realmente é a melhor opção. Claro que não se trata de um casal cristão e sim de um cristão casado com um não crente, quando este insiste em desrespeitar e abusar de seu cônjuge. Muitas pessoas, em especial mulheres cristãs, são vítimas de maridos agressivos que não somente as espanca, como também desmoralizam-nas completamente fazendo com elas coisas inconvenientes. Isso muitas vezes se torna em um verdadeiro problema, pois estas mulheres na maioria das vezes se vêem sem saída e preferem suportar tudo com medo de enfrentar uma vida sozinha. Veja o que diz a Palavra:

1Co 7

10 Todavia, aos casados, mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido;
11 se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.
12 Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher incrédula, e ela consente em habitar com ele, não se separe dela.
13 E se alguma mulher tem marido incrédulo, e ele consente em habitar com ela, não se separe dele.
14 Porque o marido incrédulo é santificado pela mulher, e a mulher incrédula é santificada pelo marido crente; de outro modo, os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.
15 Mas, se o incrédulo se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou a irmã, não está sujeito à servidão; pois Deus nos chamou em paz.
16 Pois, como sabes tu, ó mulher, se salvarás teu marido? ou, como sabes tu, ó marido, se salvarás tua mulher?

Outros casos em que também o divórcio é uma opção, quando o crente não consegue perdoar, é dentro do adultério. O cônjuge adúltero está numa situação em que o outro ferido tem, pelo menos diante da lei de Deus, a plena liberdade de escolher entre perdoar e aceitar de volta o cônjuge arrependido ou pedir o divórcio.

É bom lembrar que perante a lei humana isso gera uma série de complicações que certamente trarão muita dor de cabeça. Como crente, agindo dentro de um espírito de fé, devemos confiar plenamente na capacidade de Deus restaurar qualquer que seja a situação, pois Jesus disse: "...tudo é possível ao que crer".



A Bíblia



No Antigo Testamento há uma flexibilidade considerável relativa ao casamento. Deus deu liberdade ao homem para que, se ele encontrasse algo na mulher o qual não lhe agradasse, assim ele tivesse liberdade de lavrar-lhe carta de divórcio. Isso no entanto, não expressa a vontade perfeita de Deus. O próprio Cristo veio rebatendo essa idéia quando foi questionado sobre o divórcio, veja:



»MATEUS [19]
1 Tendo Jesus concluído estas palavras, partiu da Galiléia, e foi para os confins da Judéia, além do Jordão;
2 e seguiram-no grandes multidões, e curou-os ali.
3 Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?
4 Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher,
5 e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne?
6 Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem.
7 Responderam-lhe: Então por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la?
8 Disse-lhes ele: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio.
9 Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.
10 Disseram-lhe os discípulos: Se tal é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.
11 Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem aceitar esta palavra, mas somente aqueles a quem é dado.
12 Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o.



Aqui aprendemos que isso foi concedido por causa da dureza do coração humano. Os fariseus reconheciam ter sido Moisés quem concedeu e não Deus, veja vs. 7,8. Jesus também deixa claro que a única concessão que temos em relação ao divórcio é condicionado ao adultério. Fora disso Ele declara: "9 Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.

Se eu pelos meus caprichos repudio minha esposa, claro vai ficar a necessidade dela de amparo. É razoável dizer que ela irá procurar isso em outra pessoa. Isso é taxado por Jesus como adultério, e como ela tomou essa atitude em respostas aos meus caprichos também sou culpado pelo adultério que ela vier porventura cometer. Desta forma também serei considerado diante ao olhos de Deus como adúltero.

Pior ainda seria se eu, por desejar viver maritalmente com outra mulher, viesse repudiar a atual. Isso seria taxado como adultério também.

De tal forma essa situação é complicada que os discípulos arrazoaram entre si que seria melhor se o homem não casasse vs.10.

A questão do divórcio é algo muito sério, pois envolve uma ligação espiritual muito profunda entre o homem e a mulher, queira ou não. Isso é algo em que, se um cônjuge insiste em se separar quando a situação é remediável, ele estará assumindo uma responsabilidade enorme: a de não contrair casamento com nenhuma outra pessoa enquanto o cônjuge for vivo. Por isso os discípulos chegaram a conclusão de que, sendo essa a condição, melhor seria se ficássemos solteiros.

É claro que Jesus não disse isso com a intenção de mostrar-nos que o casamento seria algo conflituoso. Pelo contrário, a bênção de Deus sobre o casamento é justamente o que fará com que o casal prospere e vivam felizes. Evidente que, se você estiver passando por uma dificuldade, isso não significa que a bênção de Deus não foi concedida a vocês, porém, algo está impedindo que ela chegue em sua plenitude em suas vidas. O que gera isso pode ser desde uma atitude de orgulho por parte de um dos cônjuges ou ambos, até mesmo pode está relacionado a atividades sexuais do casal. Clique aqui para ler sobre esse assunto.



O que fazer quando um dos cônjuges comete adultério?



Certamente não é algo agradável de se viver, no entanto, quando isto ocorre devemos levar em consideração todas as possibilidades que fizeram com que tal ocorresse.

Já lidei com pessoas que declararam amar seu esposo e esposa e, contudo sentirem atração por outras pessoas. Elas em si se sentem tristes por manifestarem tal sentimento, mas não conseguem impedir. Logo evidencia-se uma necessidade muito grande de ajuda. Essas pessoas estão a mercê do ataque do diabo, e nesse momento não é o ciúme e a crítica que irão ajudar.

Sabemos que a natureza humana já tem essas tendências, porém, uma pessoa que é cheia do Espírito Santo certamente domina esses desejos. Mas, como é o caso de muitos, às vezes as tarefas e problemas do cotidiano nos afastam de uma comunhão mais completa com o Senhor Jesus. Isso faz com que nossa carne passe a manifestar desejos muito mais fortes, pois nosso espírito enfraquece. Então, pode ser que o motivo que tenha levado o cônjuge a traição não tenha sido falta de amor pelo outro, mas apenas fraqueza. Nesse caso eu aconselho o perdão e o auxílio da pessoa ferida para que ambos possam vencer essa situação e consolidar uma união mais profunda que a anterior.

Há também casos em que a pessoa está possuída por um espírito de prostituição. Nesse caso ela não tem muito escolha, pois o espírito põe desejos tão incontroláveis que seria impossível de qualquer pessoa se conter. Nesse caso há uma necessidade de libertação. Claro que isso já é algo que só ocorrerá com quem se distancia de Deus profundamente ou se entrega ao pecado, ou mesmo pessoas não crentes. A pessoa em si não tem controle de seu corpo, pois está possuída. Quando oramos por esse tipo de pessoa, logo se manifesta um espírito maligno o qual nós repreendemos e ele se retira. Só isto resolve o caso.

7 comentários:

  1. POSTEM AI AMIGOS RSRS EU NAO TENHO PALAVRAS ,SEI QUE NAO É O GOSTO DO NOSSO DEUS ;ELE ODEIA O DIFORCIO.

    ResponderExcluir
  2. MUITO EDIFICANTE ESSE ASSUNTO RELATADO. CREIO QUE DEUS POSSA RESTAURAR QQUER COISA QUE PEDIMOS QUANDO HA INTERESSE DE AMBAS AS PARTES DE BUSCAR EM DEUS AS SOLUÇOES. SERIA MUITO BOM QUE OS CASAMENTO FOSSEM ETERNOS. SO QUE HJ OS PAPEIS SE INVERTEM...MUITAS VEZES A MULHER É A CHEFE DO LAR... TRABALHANDO, PAGANDO COISAS QUE ERA DE RESPONSABILIDADE DO MARIDO....ENFIM.. É PRECISO QUE OS HOMENS EXERÇAM SEU PAPEL DE SACERDOTE DO LAR E CHEFE DE FAMILIA.

    ResponderExcluir
  3. VERDADE AMIGA ,O HOMEN MUITAS VEZES DEIXA O SEU PAPÉL DE HOMEN DO LÁR E TRANFERE PRÁ ESPOSA;TODA A RESPONSABILIDADE ,E VAI SE PROSTITUIR TRAIR A ESPOSA ,BATER EMFIM....SÓ O PODER DE DEUS MESMO.

    ResponderExcluir
  4. só jesus cristo restaura um casamento mais nada depois que houve traisao

    ResponderExcluir
  5. Casamento uma união onde a aliança deve ser feita primeiro com Deus,Ele é a estrutura de tudo relacionamento,sendo q o casal deve ter o msm proposito com respeito aos mandamentos do Pai Deus,casamento envolve um tudo,é a união onde Deus diz q ambos se fazem uma so carne um só corpo,1º corintios capitulo 7 nos mostra perfeitamente o que é um casamento,lembre-se q p/levar um relacionamento a serio e manter ele é preciso ter uma força maior p/enfrentar as adversidades deste mundo e derrubar todas as hostes do maligno, pq Deus diz em sua palavra que o diabo veio p/ matar roubar e destruir por isso HOMEM ou MULHER não seja fraca deixando q o mal destrua sua familia ,mas busque a sabedoria e a força de Deus , que Deus abençoe e dê entendimento a cada casal que ler esse comentario Paz de Jesus Cristo esteja com todos amém.

    ResponderExcluir
  6. O alicerce do casamento bom e duradouro é a comunicação. É por meio da comunicação que o casamento se solidifica. Quando a comunicação é interrompida, a intimidade sofre muito. E um casamento sem intimidade agoniza. A pessoa com quem você s
    empre terá mais intimidade é o seu cônjuge, porque vocês compartilham tudo. A falta de comunicação entre o casal abre caminho para uma vida insuportável. A vida a dois torna-se impossível quando um não sabe o que o outro está sentindo ou pensando. Se um não sabe quais os planos e os ideais do outro, como poderão caminhar juntos? Como transmitir a sensação de que apóiam um ao outro se não conversam? Se você não expressar seus medos e preocupações, com poderá receber o incentivo de que necessita? Se não houver uma boa comunicação verbal, não haverá nenhuma ligação emocional e, como consequência, não haverá intimidade física satisfatória. Essa parte da vida conjugal passará a ser um ato sem sentimento nem paixão. A boa comunicação é responsável pela união do casal. De que outra forma o amor e o respeito poderiam ser demonstrados? Há casais que passam muito mais tempo em silêncio do que conversando. Discutem muito quando conversam, então decidem não conversar mais. Não é uma forma natural de viver. A comunicação refere-se mais a cumprir a vontade de Deus do que a sua. Refere-se mais a fazer o que é certo do que decidir quem está certo. Não pode haver egoísmo entre dois corações que se amam.

    ResponderExcluir